Pular para o conteúdo
Insights > Digital e tecnologia

Explorando todo o potencial da publicidade móvel com o toque pessoal

Leitura de 3 minutos | Novembro 2016

Com a taxa de propriedade de smartphones nos EUA continuando a subir, o celular se tornou uma força a ser considerada dentro do mundo da publicidade digital. Embora este boom esteja proporcionando oportunidades interessantes para que as marcas cheguem a muitos americanos, o rápido crescimento do mercado de publicidade móvel também levantou questões, particularmente em relação a atingir os consumidores certos. Para entender melhor como as marcas podem superar estes desafios, o último relatório Nielsen Digital Ad Benchmarks and Findings explorou como os anúncios móveis nos EUA estão alcançando com sucesso seu público alvo, bem como as tendências a serem observadas neste espaço.

Exigindo atenção com o desempenho de Breakout

Embora os anúncios de desktop tenham tido, historicamente, porcentagens mais altas para atingir seu público alvo do que os de celulares, os anunciantes deram passos significativos para fechar a lacuna nos últimos anos. O desempenho das campanhas de anúncios móveis melhorou significativamente no último ano, com anúncios móveis alcançando seu público alvo 60% do tempo a partir do segundo trimestre de 2016 (acima dos 49% no mesmo período de 2015). Isto agora coloca a porcentagem média das campanhas móveis no mesmo nível das campanhas de desktop - um fator que poderia influenciar as considerações dos compradores e vendedores de mídia que planejam campanhas de mídia digital.

Criando Conexões Precisas e Pessoais

Quando se procura atingir um público mais amplo, a área de trabalho continua a ter uma ligeira vantagem sobre a móvel no desempenho da campanha. Em campanhas voltadas para pessoas entre 18 e 49 anos - muitas vezes pensadas como uma "chave" de compra - as campanhas demográficas móveis tiveram uma porcentagem menor no alvo em comparação com as campanhas de desktop, 64% contra 70%, respectivamente.

Por outro lado, as campanhas móveis foram mais eficazes na conexão com audiências mais estreitas. Isto pode falar do fato de que os dispositivos móveis são mais pessoais por natureza e menos propensos a serem compartilhados da mesma forma que a visualização em outros dispositivos. Em campanhas destinadas a pessoas entre 18 e 34 anos, os anúncios móveis tiveram um desempenho superior aos de desktop-63% em comparação com os 53%, respectivamente. Da mesma forma, as campanhas móveis que pretendem atingir pessoas entre 25 e 44 anos de idade tiveram um desempenho superior ao das campanhas de desktop que buscam o mesmo público, 64% comparado com 42%.

Estes números reforçam ainda mais que a mobilidade está provando ser uma plataforma mais altamente pessoal e destacam o potencial que ela possui para conexões mais precisas.  

Entrando em contato com as mulheres

Geralmente, as campanhas de mesa têm percentuais médios mais altos com o público masculino do que com o feminino. No entanto, esta tendência está invertida quando se trata de anúncios móveis.

Em um contraste marcante com a área de trabalho, as campanhas publicitárias móveis têm maior sucesso atingindo as mulheres do que os homens na maioria das faixas etárias. Entre pessoas entre 18 e 49 anos, as campanhas publicitárias móveis conseguiram atingir 53% das mulheres e 50% dos homens no público pretendido. Em contraste, as campanhas de desktop destinadas a este grupo atingiram 57% dos homens e apenas 45% das mulheres.

Notavelmente, a capacidade de conexão móvel com as mulheres se mantém em audiências mais estreitas. Especificamente, entre as pessoas de 18-24 anos, as campanhas publicitárias móveis atingiram 28% das mulheres no público pretendido, em comparação com 17% dos homens do mesmo grupo. Dada a importância deste segmento para os marqueteiros e sua reputação como pivotal early adopters, a forte conexão da telefonia móvel com as consumidoras femininas poderia manter aplicações tangíveis para marcas em todos os setores.

Metodologia

O relatório do segundo trimestre de 2016 da Nielsen Digital Ad Benchmarks and Findings reflete a porcentagem média no alvo para quase 40.000 campanhas medidas pela Nielsen Digital Ad Ratings nos Estados Unidos até o segundo trimestre de 2016.  

br