Pular para o conteúdo
Percepções > Desempenho de marketing

Os 5 novos pontos obrigatórios do marketing

4 minutos ler | Lana Busignani, EVP, U.S. Analytics | Fevereiro 2020

Não é segredo que o marketing passou por uma transformação maciça nos últimos anos. Os canais digitais agora capturam mais da metade de todos os gastos com publicidade nos EUA. Entender que o marketing mudou não significa que você saiba como navegar pelo novo cenário ou o que outros no campo estão fazendo para se manter atualizado.

O segundo Relatório de Marketing anual da Nielsen pesquisou mais de 350 profissionais de marketing de todo o mundo para gerar resultados detalhados que oferecem uma visão poderosa do estado atual do marketing. À medida que a nova década se desenvolve, siga estas cinco novas verdades de marketing para manter-se à frente.

A intuição não corta mais (e provavelmente nunca deveria ter cortado em primeiro lugar) 

A crescente influência do digital significa que os marqueteiros têm que ser muito mais ágeis na alocação de seus preciosos dólares de mídia, mas calcular o ROI para investimentos digitais pode ser difícil. Nossa pesquisa constatou que quando as coisas ficaram difíceis, os investimentos em canais de mídia digital pagos se tornaram o produto do instinto de sentir mais do que métricas quantificáveis de ROI. Esta é uma proposta assustadora quando milhões de dólares estão em jogo.

Embora tais investimentos em marketing digital possam realmente valer a pena, é hora de os marqueteiros buscarem soluções de medição para respaldar as decisões e deixar de confiar em suposições. A parceria com especialistas do setor pode ajudar as organizações a determinar quais investimentos em marketing digital são, e não são, compensadores.

Preste atenção à qualidade dos dados 

Quando se trata de medição precisa, a chave para ter uma saída de alta qualidade é ter uma entrada de alta qualidade. Como diz o ditado, "bons dados entram, bons dados saem". No entanto, descobrimos que a segmentação do público, a publicidade criativa e o alcance do público são as três principais prioridades dos marketeiros globais para as campanhas de marketing. A qualidade dos dados vem em quarto lugar. Colocar uma prioridade tão baixa na qualidade dos dados aumenta drasticamente os riscos de que seus investimentos em marketing sejam menos eficazes, ou pior ainda, simplesmente fora do alvo.

Os marqueteiros não devem subestimar a importância da qualidade dos dados. Em vez disso, eles devem se concentrar em aumentar a qualidade dos dados, tanto quanto em visar e atingir o público. Afinal de contas, nenhum desses objetivos atingirá o alvo se os dados que os sustentam não forem precisos.

Reavaliar o papel das promoções 

A maioria de nós folheou livros de cupons no jornal dominical em busca de um desconto para um restaurante local, serviço de ar condicionado, etc. Esses livros de cupons de um para todos são bons exemplos do que costumavam ser as promoções comerciais. Mas hoje, a maioria dos consumidores não está economizando, cortando ou carregando cupons de papel. Ao invés disso, eles estão usando aplicativos de compras digitais, cupons digitais e agindo com base em ofertas personalizadas.

No mundo atual do marketing digital, as promoções comerciais estão maduras para serem interrompidas. Agora é a hora de as organizações que pensam no futuro reavaliarem o papel das promoções comerciais para suas marcas. Prepare-se para as promoções de tecnologia e use-as para aprender sobre seus clientes, incluindo suas motivações e comportamentos de compra.

Comece a se preparar para a Connected TV 

A TV conectada tem o potencial de ser uma ponte entre a mídia tradicional e digital, combinando o alcance e a audiência cativa da TV com a capacidade de endereçamento de busca paga e vídeo. Até hoje, a adoção tem sido dificultada por vários desafios, tais como lacunas de conhecimento interno, aquisição organizacional e eficiência no planejamento de mídia. 

Mas os parceiros do setor estão aumentando as soluções de medição de TV conectada e as organizações precisam afiar seus conjuntos de habilidades internas para se prepararem. Bons primeiros passos incluem a realização de campanhas em pequena escala, bem como a formação de parcerias com a mídia e a tecnologia para chegar ao início da operação quando a TV conectada se abre.

Repriorizar as prioridades de seus clientes 

É da natureza humana gostar de coisas novas e brilhantes, seja uma nova engenhoca, uma nova cidade, um novo canal de marketing, ou novos clientes. Mas isso nem sempre é uma estratégia sensata para a retenção de clientes.

De acordo com os resultados de nossa pesquisa, a rotatividade dos clientes é a última prioridade quando se trata dos objetivos de marketing das empresas. Acredite ou não, muitas marcas classificam a aquisição de novos clientes como seu principal objetivo de marketing em vez de investir e se concentrar na retenção dos clientes existentes.

Esta falta de ênfase na rotatividade é uma oportunidade perdida para os marqueteiros. Estudos demonstraram que os gastos totais estão altamente concentrados entre um pequeno segmento de clientes, provando que a regra 80/20 (que 20% de seus clientes dirigem 80% de sua receita) ainda é válida. 

Com o crescimento global da deslealdade, as marcas precisam ajustar suas táticas de marketing e investimentos para aumentar a retenção. Para os marqueteiros, isso significa segmentar clientes de alto valor e desenvolver estratégias de planejamento de mídia e mensagens para o melhor, e não o resto.

Fazendo com que os investimentos em Marketing Digital Paguem

Com o marketing digital, é impossível desacelerar o ritmo das mudanças. É por isso que é vital recuar e garantir que os investimentos em marketing digital de sua marca estejam dando frutos.

Em vez de confiar na intuição para o que está funcionando, as organizações deveriam procurar parceiros que possam ajudá-las a quantificar o ROI para o marketing digital, aumentar a qualidade dos dados para uma melhor eficácia de marketing, preparar-se para uma adoção mais ampla da TV conectada e identificar maneiras de aumentar a lealdade dos clientes de alto valor.